O que é a DTM?

Conheça uma possível causa da sua dor de cabeça – a Disfunção Temporomandibular?

A Articulação Temporomandibular (ATM) é uma das articulações de mais importância e complexidade no corpo humano e é responsável por movimentar a mandíbula, o que nos possibilita falar, bocejar e comer. Localizada próxima ao ouvido, um dos problemas mais comuns que ela pode apresentar é uma certa frouxidão, percebida quando ouvimos estalos ao abrir a boca. Este desarranjo, assim como qualquer outro que envolva desconforto e dores na região da face, pescoço e cabeça, além de travamentos da mandíbula, recebe o nome de Disfunção Temporomandibular (DTM) na Odontologia.

 

Quais os sintomas da DTM? Como saber se eu tenho a Disfunção Temporomandibular?

Os sintomas da Disfunção Temporomandibular envolvem dores de cabeça, dores na região do pescoço e ombro, zumbido e dores no ouvido, dores ao bocejar ou mastigar e travamentos e estalos na mandíbula. São vários os problemas e os efeitos relacionados à DTM, e sua origem também pode ser diversa, incluindo músculos, articulação, neurologia, entre outros. Por isso, a atuação do dentista varia de acordo com cada caso e, algumas vezes, pode inclusive requerer a participação de outro profissional.

 

Causas da DTM: o bruxismo é uma delas?

Não existem causas específicas para o surgimento da Disfunção Temporomandibular. Alguns fatores, entretanto, podem ajudar a desencadear, prolongar e contribuir para que a dor se apresente no paciente – entre eles, estão traumas, estresse emocional, bruxismo, hábitos parafuncionais como mascar chiclete e roer unhas, predisposição genética para dores crônicas, abertura excessiva da boca, etc.

Como as causas do desenvolvimento da DTM são diversas, os tratamentos também podem englobar uma série de cuidados como: substituição de próteses, restauração de dentes, uso de coroas, extração de dentes, implantes dentários, tratamento ortodôntico, uso de placas oclusais, técnicas de relaxamento e, em uma pequena porcentagem de casos em que há alterações específicas nas ATMs, a cirurgia também pode ser indicada.

A importância do tratamento está na eliminação ou redução das diversas dores que a DTM pode causar, com objetivo de melhorar a movimentação da mandíbula, evitar procedimentos cirúrgicos mais complexos, fortalecer o sistema músculo-esquelético da face e se reeducar em relação ao posicionamento correto da mandíbula.

 

Criança também pode ter a Disfunção Temporomandibular?

É possível que a disfunção apareça em crianças e adolescentes, apesar de ser menos comum. Nesses casos, os sintomas muitas vezes são transitórios, flutuantes e podem acabar desaparecendo sem que seja realizado um tratamento, o que não significa que a disfunção não terá efeitos negativos sobre a qualidade de vida das crianças.

Esses casos de DTM são em grande parte descobertos a partir do relato das próprias crianças, que muitas vezes não conseguem nem ao certo falar sobre a localização exata ou sobre como é o tipo de dor que estão sentindo. Justamente por isso, é muito importante que seja realizado um diagnóstico preciso por um profissional qualificado, o que somente será possível a partir do exame da criança. Quanto mais cedo a DTM for descoberta, menos efeitos negativos ela terá no paciente e, consequentemente, mais facilmente ela será tratada.

 

Não se esqueça: sua dorzinha de cabeça pode ser a Disfunção Temporomandibular! Cuide-se e não deixe de procurar um odontologista especializado.