Cirurgia na gengiva: a plástica gengival

Não é novidade que a Odontologia Estética passou recentemente por uma série de avanços técnicos e tecnológicos – a colocação de lente de contato dental é um grande exemplo disso. Estes avanços acabaram por fazer com que outros procedimentos odontológicos mais antigos fossem mais exigidos esteticamente e um deles é a cirurgia gengival.

Isso acontece porque tratamentos estéticos são realizados de forma sistêmica, e de nada adianta um paciente com dentes lindos mas que apresente outros problemas bucais – 30% da população feminina tem sorriso gengival, por exemplo. E, como a procura por esse procedimento tem crescido cada vez mais, a Clínica Odontológica Dra. Regina Bregalda decidiu esclarecer as principais dúvidas relacionadas ao assunto. Veja:

 

1- Para quem é indicada a plástica gengival?

A cirurgia na gengiva é indicada para pacientes que possuam algum desalinhamento ou mal posicionamento da estrutura gengival na boca. Estes problemas podem acontecer em função de sorriso gengival alto, de hiperplasias decorrentes de tratamentos com ortodontista, do uso de alguns medicamentos, com objetivo de recobrir retração gengival, do excesso de tecido gengival e para corrigir manchas ou melanoses.

2- Qual o momento ideal para que eu realize a cirurgia na gengiva?

A cirurgia gengival deve ser realizada cerca de 3 meses antes do início de tratamentos com material cerâmico e não deve ser realizada caso o paciente tenha próteses dentárias em porcelana pura ou lentes de porcelana.

3- Como a cirurgia na gengiva é realizada? – técnicas cirúrgicas para a Gengivoplastia

Existem algumas técnicas possíveis para a realização da plástica gengival. Entre elas: (i) a Gengivoplastia, remoção seguida de reconstrução cirúrgica da gengiva que está ao redor do dente; (ii) a Gengivectomia, procedimento cirúrgico que envolve gengiva, ovo e ligamentos periodontais; (iii) o Enxerto Gengival, procedimento realizado para recobrimento de retrações; e (iv) o reposicionamento da margem gengival sem realização de enxerto. Por fim, uma das mais recentes técnicas relacionadas à plástica gengival: o enxerto de plasma rico em plaquetas.

4- Quais problemas posso ter realizando uma cirurgia gengival?

Alguns dos riscos existentes na realização da plástica gengival são a recidiva dos resultados, o descolamento do enxerto gengival, infecções pós operatórias e tempo prolongado de cicatrização fina. Mas vale ressaltar que, com uma seleção adequada da técnica a ser utilizada na cirurgia, a possibilidade de frustração com o resultado é baixíssima!

5- Preciso refazer a cirurgia na gengiva de tempo em tempo?

Normalmente, não – apenas a retração gengival costumam aparecer após um certo tempo da cirurgia de recobrimento.

6- Quais são os fatores de risco para a realização de uma cirurgia na gengiva?

Cirurgias na gengiva costumam ser procedimentos simples e sem muito risco para o paciente. Apesar disso, (i) gengivas muito finas podem trazem um prognóstico menos favorável quando comparadas a gengivas mais grossas, bem como dentes desalinhados; (ii) fumantes costumam ter a gengiva menos vascularizada, podendo apresentar uma cicatrização mais lenta – o mesmo é verdade para diabéticos; e (iii) a cooperação do paciente no pós-operatório é indispensável para garantir um bom resultado da cirurgia.

Conseguimos tirar suas dúvidas sobre a Gengivoplastia? Então fique de olho no nosso Blog!

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!