O bruxismo atinge cerca de 30% da população brasileira e pode provocar sérios danos à saúde. O problema é definido em termos médicos como uma resposta psicofisiológica caracterizada pelo apertamento e ranger dos dentes entre si sem objetivo funcional. Esse apertamento pode causar problemas de disfunção temporomandibular e dor orofacial, dor na mandíbula, dor de cabeça e dor no maxilar.

O bruxismo é um distúrbio que produz movimentos involuntários da mandíbula, provocando desgastes dentários e lesões aos músculos da mastigação. Esses movimentos podem ser de apertamento ou atrição entre os dentes e ocorrem, na maioria dos pacientes, à noite. Pessoas com bruxismo normalmente apresentam essa atividade muscular no turno da noite e, por isso, é, quase sempre, imperceptível. Apenas quando desgastes dentários, dor no maxilar ou dores musculares que ocorrem com frequência acima do normal despertam a atenção é que o dentista é consultado.

O bruxismo noturno é mais comum e é considerado um dos vários distúrbios que afetam o sono e as pessoas que sofrem de bruxismo noturno apresentam um excesso de movimentação da musculatura mastigatória, principalmente dos músculos temporais, situados na região das têmporas dos dois lados da cabeça. O bruxismo cria uma tensão muscular exagerada e, como consequência, aparecem a dor de cabeça tensional ao redor do crânio.

Causas do bruxismo

Não existe uma causa única para esse distúrbio, segundo a literatura. É um problema multifatorial e normalmente se manifesta por causa de um conjunto de condições. Pode acontecer por causa de ausência de dentes, desalinhamento dos dentes, contato prematuro, estresse, ansiedade, desordens endócrinas, alergias, parasitoses intestinais, paralisia cerebral e autismo são alguns dos problemas que podem desencadear o bruxismo. Vale lembrar que o bruxismo, se não abordado de maneira adequada pode evoluir para disfunção temporomandibular e dor orofacial.

Sinais e sintomas do bruxismo

Como falamos anteriormente, existem alguns sintomas e sinais que podemos observar. Nem sempre o bruxismo provoca desgastes aos dentes e apenas alguns pacientes apresentam apenas apertamento. Esse tipo de problema é difícil de ser diagnosticado, mas vamos aos sintomas:

  • Desgastes dentários.
  • Fraturas dentárias frequentes.
  • Dor muscular.
  • Dor dentária.
  • Limitação de abertura de boca.
  • Hipertrofia dos músculos faciais.
  • Dor no masseter.
  • Dor no pescoço.
  • Dor na têmpora.

Prevenção da dor no bruxismo

Nas doenças multifatoriais, como o bruxismo, a prevenção é ainda mais fundamental e pode ser realizada com mudanças de hábitos que não apenas previnem o aparecimento de dores, como também melhoram o estado de saúde geral das pessoas. O que fazer para prevenir essas dores:

  • Controle do estresse e ansiedade.
  • Consulta frequente ao dentista.
  • Hábitos posturais saudáveis.
  • Eliminação de hábitos parafuncionais.

As formas de tratamento podem ser divididas em tratamentos clínicos e tratamentos cirúrgicos. Prescrições de medicamentos como ansiolíticos, relaxantes musculares, anti-inflamatórios e placas interoclusais têm como objetivo eliminar as interferências dentais dessa mordida proporcionando um alivio na pressão sobre os músculos e articulação. O tratamento odontológico convencional recupera a melhor mordida dos dentes e é aconselhável que seja feito.

O bruxismo é um problema sério e o diagnóstico precoce pode ajudar a prevenir problemas sérios. Procure um dentista e faça consultas periódicas para evitar que, caso você tenha esse problema, ele desenvolva e traga mais problemas para sua saúde.

Referências: FGM, Luis Gustavo Leite, Olhar Direto

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!

WhatsApp chat