Benefícios da Laserterapia na odontologia

Um dos grandes avanços na área médica neste século foi o desenvolvimento dos aparelhos de laser. A aplicação dos diferentes tipos de lasers possibilitou a alteração nos procedimentos odontológicos, pois proporcionou uma a redução do tempo de duração de cirurgias, no tempo de recuperação dos pacientes, nas complicações pós-operatórias, na redução de edemas, além de facilitar a bioestimulação dos tecidos moles e um maior controle e domínio das dores crônicas.

As pesquisas com laser na área da odontologia começaram nos primeiros anos da década de sessenta e já em 1988 e, atualmente, a laserterapia se tornou um tratamento realizado com um equipamento laser de baixa potência, cuja energia é absorvida pelas células doentes do corpo. Esta energia aumenta a microcirculação local e restabelece a produção de ATP celular (energia) promovendo cicatrização, ação anti-inflamatória e analgésica no local da irradiação.

O tratamento de laserterapia é, rápido, indolor, seguro, não apresenta efeitos colaterais quando realizado corretamente pelo dentista e o número de sessões é variável de acordo com a lesão a ser tratada e de acordo com o perfil do paciente. A laserterapia é indicada para tratar sensibilidade nos dentes, parestesia, afta, ATM e dor na mandíbula.

 

Mas como curar afta com laserterapia?

O tratamento a laser é utilizado para prevenção e tratamento de mucosite oral, herpes e aftas recorrentes. Se você tem afta na boca, este pode ser um tratamento eficiente e indolor. O laser terapêutico pode ser usado para reduzir a dor e minimizar o tempo de cicatrização. Com relação a Herpes, por sua vez, quando tratado em seu estágio inicial, reduz consideravelmente a duração da lesão impedindo, em muitos casos, a formação de bolhas.

 

E para outros procedimentos? Como é utilizada a laserterapia?

Além de tratamentos com o laser terapêutico, algumas cirurgias podem ser realizadas com laser na área da odontologia. São elas:

  • Remoção de fibromas.
  • Remoção de hiperplasias.
  • Freio labial e lingual.
  • Gengivoplastias e gengivectomias.
  • Descontaminação periodontal e endodôntica.

Os tratamentos possíveis são:

  • Pós-operatórios – acelera a cicatrização, reduz edemas e a dor.
  • Implante – acelera a osseointegração e aumenta a microcirculação local.
  • Disfunção da ATM (articulação temporomandibular) – efeito analgésico, anti-inflamatório e relaxante muscular.
  • Clareamento dentário – utilizado no processo de clareamento para acelerar a ação do produto clareador sobre o dente.
  • Mucosite oral, herpes e afta.

 

O laser tem ação antimicrobiana, não tem necessidade de sutura, promove um melhor conforto pós-operatório e sua ação é bem localizada, o que permite uma cirurgia precisa, sem sangramento e livre de infecção. É bastante indicada para pacientes cardiopatas e diabéticos.

Além dos possíveis tratamentos citados acima, é importante citar o tratamento da parestesia com laserterapia. A parestesia bucal ocorre com baixa frequência – aproximadamente 5% dos casos – e, normalmente está ligada ao esmagamento ou rompimento dos nervos e pode ser recorrente de anestesias aplicadas diretamente no nervo, fraturas e extração de dente ou implante dentário. Em casos raros, quando o nervo é lesionado, o tratamento pode ser feito por meio da laserterapia e medicamentos.

A laserterapia oferece muitos benefícios, tanto relacionados com o tratamento da doença quanto à melhora do estado geral do paciente. O aumento substancial do interesse pela Laserterapia tem sido notado no meio científico, devido ao significante número de resultados satisfatórios com o tratamento. Consulte seu dentista sobre as possibilidades de uso do laser.

Referências: USP, Conquistodontologia, Dental Cremer

Pin It on Pinterest

Share This

Compartilhe!

WhatsApp chat